Empreendedores querem lucrar resolvendo problemas de clientes pelo WhatsApp

Por Filipe Oliveira

Um telefone celular e uma conta no WhatsApp.

Foi essa a estrutura necessária para que o casal de empreendedores Raquel Jesi, 26, e Pedro Camanho, 30, começassem a empresa Resolve Para Mim, há um ano.

A companhia oferece um serviço de “secretária virtual”, pago por tarefa feita. Recebendo pedidos pelo aplicativo de mensagens, se propõe a ajudar os clientes em sua busca por produtos e serviços e na solução de problemas.

É possível, por exemplo, escrever uma mensagem à empresa pelo aplicativo pedindo que a Resolve faça compras, providencie um agendamento em um médico ou procure um profissional para um serviço para a casa.

Para dar conta das missões, a empresa trabalha com 600 fornecedores que foram previamente avaliados pela companhia, diz Camanho.

Segundo Jesi, o pedido mais desafiador veio de uma cliente que precisava transportar objetos de grande valor. Foi necessário descobrir como se contratava um carro forte para a missão.

Porém convencer o cliente de que ele precisa mesmo de ajuda e que o preço pago para ter ela compensa é um dos desafios da empresa.

Camanho aposta em ganhar a preferência do cliente tanto pela agilidade quanto pela qualidade do atendimento.

“O cliente poderia fazer o que fazemos por conta própria. Mas com a gente ele vai economizar o tempo que gastaria ligando para fornecedores, pedindo orçamentos,  fazendo agendamentos e descobrindo se o prestador de serviços que ele quer escolher é de confiança.”

A OPORTUNIDADE

Jesi conta que a inspiração para o negócio foi consequência de os sócios terem morado fora do Brasil, nos EUA e no Canadá.

Nos outros países, havia tempo para trabalhar e manter outras atividades sem dificuldade, conta Jesi, que é formada em administração de turismo e atuava no setor.

Quando voltou ao Brasil, ela passou a trabalhar mais de oito horas por dia e viu que não sobrava tempo para nada, conta.

Ela e camanho começaram a dizer um ao outro, por brincadeira, que precisavam de um assistente para resolver as coisas do dia a dia. O que era um sonho passou a ser percebido como possível quando viram que esse modelo de negócios era testado nos EUA pela empresa Magic e chamava a atenção da imprensa.

COMO GANHA?

O serviço da Resolve Para Mim custa entre R$ 9,90 e R$ 25.
O preço final depende da complexidade do pedido.

Os mais fáceis, como agendamento em salão de beleza, compras em lojas virtuais ou em fornecedores cadastrados pela empresa, saem pelo valor mínimo.

As tarefas mais caras são aquelas que exigem pesquisa, como a seleção e agendamento de uma consulta com médico que atenda a determinado plano de saúde.

O pagamento é feito por cartão de crédito, pela internet.

Hoje a companhia recebe cerca de 10 solicitações novas por dia.

Segundo Camanho, a expectativa é que o negócio atinja o ponto de equilíbrio (momento em que despesas e receitas se equivalem) em três meses.

DESAFIO

Apesar de estar baseada no WhatsApp, uma ferramenta gratuita, a Resolve para Mim, conforme se desenvolveu, passou a usar outros softwares, em conjunto ao aplicativo, para poder armazenar informações sobre seus clientes e agilizar os atendimentos.

Do modo como está hoje, a empresa tem custos que crescem conforme sua clientela aumenta. Quanto mais clientes a companhia tem para atender, mais funcionários são necessários, por exemplo. Isso torna difícil aumentar muito a lucratividade da empresa.

Jesi conta que os sócios apostam em modificar este cenário contando com a tecnologia. Mais especificamente, com processos de automação e inteligência artificial.

Uma das ideias é que boa parte das conversas aconteçam entre clientes e robôs. Profissionais da empresa entrariam após as primeiras trocas de informações, para discutir detalhes específicos e para executar as tarefas.

Mas a tecnologia ainda terá de evoluir para chegar lá, diz Jesi.

TESTE

O Plano de Negócios experimentou o serviço. Enviou uma mensagem às 9h da manhã perguntando se seria possível encontrar uma assistência técnica para consertar um celular antigo, (da Nokia, modelo E5) que já havia sido rejeitado em algumas lojas por ter poucas peças de reposição no mercado.

Em três minutos, a solicitação foi respondida. O atendente pediu informações adicionais e, às 14h, avisou ter localizado uma assistência técnica que faria o serviço.

O custo para que um motoboy retirasse o aparelho com o repórter, o levasse a assistência técnica e, depois, o devolvesse, somado a taxa de conveniência da Resolve, seria de R$ 75.

Após dois dias de reflexão (o jornalista preferia economizar e tentou levar o celular para outra assistência técnica por conta própria, sem sucesso novamente), foi fechado negócio.

O celular voltou funcionando em uma semana.

A Resolve para Mim funciona na cidade de São Paulo. O atendimento acontece nos dias úteis, das 9h às 18h.

LEITURA DINÂMICA
Resolve para Mim

INÍCIO
Junho de 2015

O QUE FAZ
Serviço de assistente virtual a partir do WhatsApp

INVESTIMENTO

R$ 150 mil, dos próprios sócios

FUNCIONÁRIOS
5

O QUE PODE DAR CERTO?
Pode encontrar interessados em pessoas ocupadas e que pagam por serviços que facilitam sua vida

O QUE PODE DAR ERRADO?
É preciso convencer os clientes de que o serviço é mesmo necessário e descobrir uma forma de aumentar o faturamento da empresa sem ampliar seus custos. Além disso, não se pode descartar o risco de uma grande companhia criar serviço semelhante