Start-up cria rede social para fotografar pratos e falar sobre comida

Por Filipe Oliveira

De olho na mania de fotografar pratos de comida para postá-las na internet, a start-up brasileira Weseek Food criou uma rede social para organizar imagens e avaliações de restaurantes.

Segundo Daniel Silva, 36, cofundador da Weseek Food, as principais redes sociais são muito usadas para falar de comida, mas não existe uma forma prática de organizar as imagens dos pratos e os comentários sobre eles. Com isso, fica difícil para quem quer indicações de restaurantes encontrá-las ali, em meio a tantas fotos de outros assuntos, como as de viagens e as de gatinhos.

Hoje, o palco para os ‘foodies’ [quem gosta de compartilhar fotos de comida] é o Instagram. Mas ele é imperfeito para isso e não acho que ele vai criar funcionalidades para esse público, diz.

Já serviços para encontrar locais interessantes, baseando-se em recomendações de usuários (como 4Square e TripAdvisor: ) não oferecem a mesma possibilidade de interação que uma rede social, afirma  Silva.

Misturando um pouco de cada um desses serviços,  o Weseek Food permite saber quais são os restaurantes mais próximos, avaliá-los e ver o que outros usuários acham dele, buscar perfis de amigos, criar listas de locais favoritos, seguir outros ‘foodies’ e, claro, compartilhar fotos.


A rede está no ar desde o final de 2016 e pode ser acessada a partir de aplicativos de smartphone. Atualmente conta com cerca de 40 mil usuários cadastrados e informações sobre 4.000 restaurantes, segundo Silva.

RECEITA

Em vez de seguir a opção da maior parte das redes sociais, que buscam o lucro mostrando anúncios em seus sites e aplicativos, o weseek Food criou um clube de descontos para rentabilizar seu negócio.

Os associados pagam uma mensalidade de R$ 6,99 para ter acesso a descontos de ao menos 10% em restaurantes parceiros do serviço.

Silva afirma que pretende vender o clube a setores de recursos humanos de grandes empresas, para ser dado como benefício para funcionários e, com isso, aumentar a duração do vale-refeição deles.

Atualmente a companhia conta com equipe comercial de oito pessoas para trazer mais restaurantes para o programa de descontos e divulgar o serviço junto a empresas.

O serviço foi criado por Silva e mais dois sócios, com experiênncia nos segmentos de comércio virtual e logística. O grupo investiu até agora R$ 1,5 milhão no negócio.

Antes de criar o weseek Food, Silva fundou a empresa VaiMoto, que permite a contratação de motoboys a partir de aplicativo de celular. A start-up teve parte de suas ações compradas pela Wappa, empresa de chamadas de táxis por aplicativos que atua principalmente no mercado corporativo.

LEITOR

Quer conhecer mais start-ups? Siga o Plano de Negócios no Facebook aqui.