Empresário conta como, para sobreviver à concorrência, buscou novo nicho e voltou a crescer

Por Filipe Oliveira

Descobrir um novo nicho e se especializar foi o que permitiu a empresa de Emerson Salomão, 43,  sobreviver à concorrência de grandes empresas  e abrir um novo horizonte de crescimento para seu negócio.

Sua empresa foi criada em 1997 na cidade de Joinville (SC) com o nome Notebook Century. No início, se dedicava a vender laptops importados.

Em 2004, Salomão decidiu investir na Avell, uma marca própria de notebooks para sua empresa. Ele passou a vender os novos produtos em sua loja, concorrendo com os demais aparelhos que já comercializava.

Ele conta que os itens que desenvolveu representaram apenas entre 1% e 2% de seu faturamento nos primeiros anos. Mas eles lhe garantiram experiência no ramo de montagem dos aparelhos, o que foi fundamental para seu futuro.

Isso porque, conforme as marcas internacionais foram aumentando sua presença no mercado brasileiro, fabricando seus notebooks no país e disponibilizando-os para grandes varejistas, a loja de Salomão passou a perder vendas, conta.

 

Emerson Salomão, fundador da empresa Avell (divulgação)

“Passei a não conseguir mais competir. As grandes varejistas conseguiam vender notebooks baratos em 10 vezes sem juros, o que não era possível para mim”, conta.

A saída foi ir deixando a disputa em que ele não ganharia e se dedicar a um segmento menor onde ele poderia ser mais forte: o desenvolvimento de notebooks de alta performance, destinados ao público amante de jogos eletrônicos e profissionais de áreas como engenharia e arquitetura.

Em vez de buscar um novo produto no mercado para trazer para esse público, ele decidiu investir na marca que já tinha criado, a Avell, e adequá-la a sua nova proposta.

O negócio deu certo e, em 2012, a empresa deixou de vender produtos que não fossem de seu próprio desenvolvimento. A marca Avell também passou a ser o nome da loja de Salomão a partir dali.

Salomão vende computadores com preços variando entre R$ 4.500 e R$ 30 mil, dependendo das configurações pedidas pelo cliente.

A companhia importa peças dos EUA e monta os notebooks em sua matriz. Possui duas filiais, em Santa Catarina e Curitiba e tem planos de abrir loja em São Paulo.

A Avell possui duas filiais além da loja de Joinville, em Florianópolis e Curitiba. Tem planos de vir para São Paulo. Atualmente, cerca de 70% de suas vendas são fechadas pela internet.

A companhia conta com 45 funcionários e registrou faturamento de R$ 35 milhões no ano passado, mais de duas vezes os R$ 14,5 milhões de 2010.

O empresário credita o crescimento a decisão correta tomada em momento difícil:

“É preciso analisar o mercado e ir mudando junto com ele. Se eu não tivesse feito isso, já teria fechado as portas.”

 

LEITOR

Veja mais depoimentos de empre´sarios acompanhando o blog no Facebook w